Tel: (49) 9116 8337 | e-mail: contato@portaldocontestado.com.br



01-10-2015
Falar em mudança é fácil, mas é preciso ter a coragem de mudar, diz Aldo sobre sua saída do PT

Confira entrevista de Aldo sobre sua saída do PT.


Aldo assina ficha no PMDB.(Foto: Fábio Claudino)

Aldo Dolberth, vice-prefeito de Curitibanos, não é mais do PT. Depois de 28 anos, a principal liderança do Partido dos Trabalhadores no município resolveu deixar a sigla e ir para o PMDB, partido do prefeito curitibanense.

A sua saída do PT foi anunciada ainda na última sexta-feira (25), e a confirmação no novo partido se deu nesta terça-feira (29), em evento realizado na Câmara de Vereadores.

Gentilmente Aldo atendeu a reportagem do “Portal do Contestado” e respondeu uma série de perguntas realizadas sobre este que vem sendo o assunto mais comentado nos últimos dias em Curitibanos.

Confira abaixo, na íntegra, a entrevista com o agora peemedebista, Aldo Dolberth.

P.C: Depois de 28 anos o que levou a principal liderança do PT em Curitibanos trocar de partido?

A.D: Dentre outras questões, aguardava uma reforma politica no Brasil com o realinhamento ideológico dos partidos e outras questões que infelizmente não ocorreram e se resumiu em uma minirreforma para ficar pior que estava. É salutar para o PT também renovar suas lideranças. O PT de Curitibanos não pode ter o ALDO como eterno candidato. Falar em mudança é fácil, mas é preciso ter a coragem de mudar. Hoje adoto uma postura pragmática, onde posso agir e demonstrar o que penso é no meu município, portanto, fiz uma escolha pensando em dar continuidade num projeto que iniciamos em 2012.

P.C: As denúncias de corrupção e até mesmo a condenação de membros do partido (nacional) por corrupção pesou para sua saída?

A.D: Tenho o maior respeito e consideração pela história do PT e pelos petistas de Curitibanos. O PT tem muito mais de positivo ao país que o negativo cometido por alguns petistas. A corrupção é uma chaga terrível, mas no atual sistema político brasileiro, nenhum partido passou imune.

P.C: Mesmo com o governo atravessando uma crise política, tu ainda continuava defendendo o PT e o governo de Dilma até a poucos dias. Como fica esse discurso agora?

A.D: Eu não afirmei em nenhum lugar que minha saída se deve ao governo Dilma ou contra o PT, tenho afirmado que é uma questão local. Você pode pensar globalmente, ter opiniões nacionalmente, mas teu poder de atuação é na cidade onde você vive. Fiz história no PT, acredito que posso construir uma nova história no PMDB.

P.C: Existia um acordo entre PMDB e PT para que na próxima eleição em Curitibanos o PT fosse cabeça de chapa. Como fica isso agora? A sua saída pode significar a não presença do PT em uma nova coligação para 2016?

A.D:Fizemos um acordo na época com o PMDB construindo um programa de governo para a cidade, com objetivo de ganhar as eleições e governar juntos. O programa de governo está sendo executado com grande êxito. O PMDB sabe o quanto o PT foi importante para a vitória em 2012 e houve o compromisso para reciprocidade deste apoio. O PT é um parceiro importante nas conquistas da administração atual é continuará sendo se quiser, mas o PT tem autonomia para decidir seus caminhos. O debate de 2016 será feito no momento adequado.

P.C: Tão logo as primeiras informações sobre a sua saída do PT foram divulgadas, muitos foram os comentários, especialmente nas redes sociais. Como tu vê e avalia isso?

A.D: Quanto aos comentários a que você se refere, sou um democrata e defendo a liberdade de expressão. Figuras públicas estão sujeitas a todo tipo de comentários. A única consideração que faço é você avaliar quem escreveu? O que escreveu? Por que escreveu? E com que interesse escreveu?

P.C: A dobradinha Dudão e Aldo pode se repetir? Como imagina sua participação, agora no PMDB, nas próximas eleições? Tu acha que continuará recebendo o apoio dos petistas?

A.D: O cenário para 2016 está em aberto, o prefeito Dudão tem o direito de ir à reeleição, mas até o presente momento não confirmou sua vontade. O meu desejo é que a coligação atual se mantenha, que as ações desenvolvidas pela atual administração como: A participação democrática, o diálogo, seriedade e responsabilidade com o erário público, a elevação dos índices de melhoria na qualidade vida, resultados das políticas públicas e investimentos nas áreas sociais, infraestrutura e melhorias nos bairros e interior também continuem e sejam aprofundadas. As bandeiras que sempre defendi, da Democracia, da Inclusão Social e a defesa dos mais pobres ante o Estado, estão sendo implementadas na nossa cidade. O PMDB não definiu suas candidaturas, mas se as candidaturas de 2016 representarem esta linha de atuação acredito que os petistas não tem motivos para ficar de fora da coligação.





Portal do Contestado

Notícias de Curitibanos e Região.

Fone: (49) 91168337

E-mail: contato@portaldocontestado.com.br